Clique para escutar

 

Maria Helena Braga tem 46 anos – é Professora e investigadora da Universidade do Porto, actualmente na Universidade do Texas.

Ainda iremos ouvir falar muito desta portuguesa que conta com mais de seis patentes nas baterias que vão revolucionar toda a indústria.

Na nova bateria inventada por Helena Braga e John Goodenough o líquido é substituído por um eletrólito de vidro mais eficiente e seguro. É não inflamável. É um bom condutor de iões de lítio ou de sódio é leve e feito por materiais que não são perigosos para a saúde. O ambiente também sairá a ganhar com o trabalho da investigadora portuguesa!

Em conversa exclusiva para o Audio Press Portugal fique a conhecer – qual a inovação conseguida com a investigação da portuguesa e fique a saber mais sobre as novas baterias revolucionárias pela voz da própria protagonista – a Professora  Maria Helena Braga.

Maria helena Braga, começou a trabalhar na inovação destas baterias em 2009.

Esteve no Laboratório Nacional de Los Alamos no Novo México.

Foi onde foi feita a bomba atómica, de má lembrança…

Mas…. Lá…. agora no laboratório fazem se muitas investigações meritórias, investigação de outro tipo.

Entre 2009 e 2011 fez várias simulações – todas no material cristalino.

De volta ao Porto em 2012 foi o recomeçar e em 2013 teve bons resultados.

Fez vários testes conseguiu perceber o que eram as propriedades do vidro e esses cálculos foram publicados em 2014.

Conseguiu montar um pequeno laboratório no Laboratório Nacional de Engenharia e Geologia na Universidade do Porto onde trabalhou com Jorge Ferreira com quem tem a 1ª patente em electrólito de vidro, registada em Portugal.

A primeira de 3 patentes portuguesas, as restantes já ficaram nos EUA.

Esta 1ª patente portuguesa pode também dar origem ao desenvolvimento de baterias com aplicações muito importantes que não podem ainda ser reveladas no momento em que aconteceu esta entrevista, em Setembro de 2017.

Foram quase dois anos desde a apresentaçao do 2º projeto à Fundação para a ciência e tecnologia até chegar o dinheiro para retomar os trabalhos.

Nesse tempo não havia caixa de luvas e a Professora não podia ir mais longe no que estava a fazer.

No início de 2015 Andy Murchison (le-se Macherson) disse: tens que vir para aqui e a professora na altura com 43 anos foi para os EUA e começa logo a trabalhar com o Professor Godenough, John Godenough – um físico – professor na universidade do Texas que contribuiu para o desenvolvimento das baterias de litio.

Com 95 anos continua no activo e a trabalhar com a Professora portuguesa Maria Helena Braga.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s