Portugal promove uma das maiores limpezas de praia do Mundo

[AUDIO]

https://soundcloud.com/audiopressportugal/portugal-faz-uma-das-maiores-limpezas-de-praia-do-mundo

 

[TEXTO]

Chama-se Brigada do mar. É um movimento e uma associação de voluntários.

30 a 40 anos é a media de idades dos que estão há 8 anos a limpar as nossas praias.

A Brigada do Mar faz autênticas maratonas alternativas na areia a apanhar o lixo e os resíduos que chegam do mar, das embarcações ou que são abandonados por terra.

Alguns estavam lá há dezenas de anos…

Entrevistamos uma das fundadoras da Brigada do Mar – Rute Novais que nos dá uma ideia de onde provem este lixo e resíduos nas nossas praias e mar.

De entre os objectos mais estranhos já encontrados um deles foi um  medidor de marés que atravessou desde New Jersey até à Costa de Grândola.

A Brigada do Mar acumula conhecimentos e experiências por outros grupos dentro e fora de Portugal.

Rute Novais, em entrevista ao Audio Press Portugal deixa alguns alertas a todos nós:

“a costa está cheia de coisinhas coloridas parece purpurinas…não há nada a fazer…é um drama… é plástico, micro-plástico e já está presente no corpo humano, no leite materno…é um drama”

É o chamado micro-plástico que é o mesmo utilizado nos detergentes nos esfoliantes que as pessoas pensam que é natural e não é”.

No sitio onde já vamos há oito anos a mudança é brutal.

 

Os banhistas a sociedade continuam completamente ignorantes para o problema. (…)

Continuo a ver no trânsito em Lisboa  pessoas a despejarem cinzeiros, papéis, caixas de fast food…”

 

Além do lixo estamos a falar de toneladas de resíduos que podem ser aproveitadas.

Tal como já tínhamos referido em entrevista ao Movimento Tara Recuperável, desperdiçar resíduos é deitar dinheiro fora que podia por exemplo ser aproveitado para produzir mobiliário moderno 100% reciclado.

Estas acções de voluntariado são momentos agradáveis de convívio, de aprendizagem e até meditação.

Acompanhe a Brigada do Mar no facebook e mantenha contacto, participando.

 

 

 

 

 

Uma portuguesa leva luz a aldeias recondidas de Guiné Bissau

[AUDIO]

 

[TEXTO]

 Em Guiné Bissau cerca de 70 por cento da população não tem energia eléctrica.

Depois do diagnóstico em como ajudar estas famílias – uma portuguesa, Inês Rodrigues, arregaçou as mangas e passou a aplicar pequenas soluções para grandes problemas.

E como as soluções passam claro por soluções energéticas aproveitando o bem natural que é a energia solar.

Inês Rodrigues respondeu de imediato ao nosso convite no dia a seguir a ser premiada pela Fundação Yves Rocher e conta nos na primeira pessoa como tudo começou….um trabalho com cinco anos – agora reconhecido.

(Excerto da entrevista onde Inês apresenta os primeiros dois projectos da Associação)

“Desenvolvemos os projectos em Portugal e depois vamos a África e ensinamos a fazer para que depois eles possam replicar autonomamente e o Forno Solar actualmente para além da confecção das refeições é utilizado também nos centros de saúde para esterilização de materiais, o 2º projecto foi o fotovoltaico.

O fotovoltaico surgiu da necessidade de assistir a partos durante a noite.

O 3º projecto é o Gota de Luz porque as casas são muito escuras”.

Numa altura em que comemoramos o Dia Internacional da Mulher quisemos saber o que representa este prémio para e o projecto Tabanca Solar e para a professora Inês Rodrigues.

Saiba ainda que este projecto pode ser aproveitado por outros países PALOPs e para o efeito a Associação Educafrica irá disponibilizar um manual com os procedimentos já testados para uma aplicação de sucesso.

Parabéns à Professora Inês Rodrigues por este reconhecimento internacional e parabéns aos parceiros e a todos os voluntários que participam na Associação Educafrica e assim melhoram as condições de vida de centenas de pessoas.